segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Em que a lei difere do evangelho?

Este post é uma pequena seção do comentário ao Catecismo de Heidelberg (Questão 92) feito por Zacharias Ursinus.

Autor: Zacharias Ursinus

Tradução: Rafael Nogueira Bello



A exposição desta questão é necessária para uma série de considerações e, especialmente, para que nós possamos ter uma boa compreensão da lei e do evangelho, pois o conhecimento destas diferenças contribuem grandemente. Segundo a definição da lei, que diz, que ela promete recompensas para aqueles que prestam obediência perfeita, e que ela as promete livremente, na medida em que a nenhuma obediência pode ser meritória aos olhos de Deus, parece que ela não difere do evangelho, que também promete vida eterna livremente. No entanto apesar deste acordo aparente, existe uma grande diferença entre a lei e o evangelho. Que diferem,
1. Quanto à revelação de modo peculiar de cada um. A lei é conhecida naturalmente: o evangelho foi divinamente revelado após a queda do homem.
2. Em matéria ou doutrina. A lei declara a justiça de Deus considerada separadamente de sua misericórdia: o evangelho declara a justiça em conexão com sua misericórdia. A lei ensina aquilo que deveríamos ser para que pudéssemos ser salvos: o evangelho nos ensina mais do que isso, ele nos ensina como é que podemos nos tornar como esta lei exige, a saber: pela fé em Cristo.
3. Nas suas condições ou promessas. A lei promete vida eterna e todas as coisas positivas, sob a condição de nossa própria e perfeita justiça e da obediência serem encontradas em nós: o evangelho promete as mesmas bênçãos sob a condição do exercício da fé em Cristo, pela qual abraçamos a obediência na lei e no evangelho, que até o próprio Cristo, realizou para o nosso bem, ou o Evangelho ensina que somos justificados pela fé em Cristo livremente. Com esta fé também está ligada, como que por um vínculo indissolúvel, a condição da nova obediência.
4. Nos seus efeitos. A lei trabalha a ira, e é o ministério da morte: O evangelho é o ministério da vida e do Espírito "(Rom. 4:15, 2 Coríntios. 3:7).

http://homepage.mac.com/shanerosenthal/reformationink/zulg.htm

2 comentários:

Juan de Paula disse...

Bom blog, Rafael.

Obrigado pela tradução, Deus continue abençoando vc.

Abraços,
Juan

Lucas Louback disse...

Gostei do blog e o texto é ótimo

Abraços